segunda-feira, 26 de março de 2007

Página virada

Peguei a tristeza e enfiei ela no sotão
Pintei um quadro colorido e chamei-o de Sonho
Cortei o cabelo e decepei a Priscila que eu não mais queria
Sobrou a essência e a expectativa
Nada mais
Nada menos
Pois às vezes sou Mais
E algumas outras, sou Menos
Fiz uma tatuagem de sol
Para ter luz em qualquer escuridão
Virei a página
E rabisquei traços e linhas novas
Nesta coisa engraçada
E indescritível
que apelidamos de Vida

3 comentários:

Walquiria disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Jussara disse...

Pri querida, adorei o "Página virada", está profundo e transmite muitas interpretações pois eu sei sobre os problemas existenciais que estás vivendo. Recomece! Beijos da tia Jussara

Priscila Alves disse...

Que bom que tu gostou! Vou fazer mais poemas!Bj